Início / Doenças / Salivação Excessiva ou Sialorreia

Salivação Excessiva ou Sialorreia

sialorreiaSialorreia, ptialismo ou polissialia é a secreção abundante de saliva

CAUSAS

  • Irritações locais, tais como as úlceras aftosas (aftas).
  • Próteses mal adptadas. Os pacientes com dentaduras novas frequetemente experimentam uma produção excessiva de saliva, até que se acostumem com as próteses.
  • Pode ocorrer como um sistema tampão protetor para neutralizar o ácido estomacal em indivíduos com doença de refluxo gastroesofageo.
  • Característica clínica da Raiva
  • Característica clínica de envenenamento por metais pesados.
  • Pode ocorre como consequência de certas medicações como o Lítio e os agonistas colinérgicos.

CARACTERÍSTICAS CLÍNICAS

  • Produção excessiva de saliva
  • Sufocação
  • Feridas Maceradas ao redor da boca, queixo e pescoço, que podem infectar-se secundariamente (em crianças com retardo mental ou paralisia cerebral).
  • Constante ação de sujar roupas e lençóis.

TRATAMENTO E PROGNÓSTICO

  • Alguns casos são transitórios ou leves e não necessitam de tratamento.
  • Para indivíduos com aumento de sialorreia associado à doença de refluxo gastroesofageno, a administração de medicamentos para o seu problema de refluxo pode ser benéfica.
  • Para os casos de sialorreia severa e persistente, pode ser indicada intervenção terapêutica. As medicações anticolinérgicas podem diminuir a produção de saliva, mas também podem produzir efeitos colaterais inaceitáveis. As escopolaminas transdérmicas têm sido usadas com algum sucesso, mas não devem ser usadas em crianças com menos de 10 anos de idade.
  • A terapia para a fala pode ser usada para melhorar o controle neuromuscular, porém é necessária a cooperação do paciente.

Técnicas cirúrgicas usadas satisfatoriamente para controlar a Sialorréia em indivíduos com um deficiente controle neuromuscular:

  • Relocalização dos ductos submandibulares (algumas vezes junto com a excisão das glândulas sublingais);
  • Relocalização dos ductos parotídeos;
  • Excisão da glândula submandibular e ligadura do ducto parotídeo;
  • Neurectomia timpânica bilateral com secção da corda timpânica.

Obs: Na relocalização ductal, os ductos são reposicionados posteriormente à fossa amigdalina, redirecionando dessa forma o fluxo salivar e minimizando a sialorreia.

Fonte de Pesquisa: Neville

COMPARTILHE ESTE ARTIGO:

Comente Aqui!

Comentário(s)

Sobre Dr. Daniel Moreira de Bulhões

Cirurgião-Dentista graduado em Odontologia pela Universidade Federal de Alagoas- UFAL, Cursou parte de sua graduação nos Estados Unidos durante o "Brazil Scientific Mobility Program" na University of Kentucky. Pós-graduando em Prótese Dentária e Implante Dentário pela Faculdade de Sete Lagoas de Minas Gerais. Empresário, Diretor clínico da "Evolution Dental Clinic" e sócio-proprietário da MOLART (www.molart.com.br), loja de presentes exclusivos e criativos para dentistas. Foi professor voluntário de Saúde Bucal dos cursos de extensão da Faculdade FACIMA para a Terceira Idade, estagiário do Ministério da Saúde no PET-Saúde, presidente e fundador da Liga de Prótese Dentária, três vezes monitor de Prótese Dentária na Clínica Integrada da UFAL, membro da comissão de tecnologia da informação e comunicação do CRO/AL e Presidente do Centro Acadêmico de Odontologia CAO-UFAL. Se aperfeiçoou em Facetas e Laminados cerâmicos, Toxina Botulínica e Preenchimento Facial, Cirurgia buco dentária, Radiologia, Odontologia Estética, Endodontia e Dentística pelo Instituto Odontológico do Nordeste. Venceu três prêmios como melhor Blog de Saúde, Cultura e Educação. É autor-responsável pelo Blog Profissão Dentista, Digital Influencer e Webmaster com experiência em Mídias Sociais e Marketing Digital na Odontologia, onde palestra e dá cursos sobre o assunto.

Veja Também!

“Gengiva dentro do dente” – Pulpite Crônica Hiperplásica ( Pólipo Pulpar)

“Gengiva dentro do dente”, “Gengiva crescendo dentro do dente” ou “Tem uma carne dentro do ...