Início / Dentística / Dicas para a Seleção de Cores de Resinas Compostas

Dicas para a Seleção de Cores de Resinas Compostas

  • Os dentes naturais são policromáticos e as resinas compostas são monocromáticas, então fica difícil obter excelência estética com apenas uma cor de resina composta, embora nem sempre é visualmente percebida em uma distância de conversação. Mas muitos dentes podem apresentar uma única cor aparente, de cervical até incisal.  Incisais mais translúcidos são mais comuns em crianças e adolescentes, embora elas também possam estar presentes em adultos.
  • O profissional deve confeccionar a sua própria escala de cores cada vez que adquirir um novo lote de resina.
  • As resinas compostas mudam de tonalidade ao serem polimerizadas, então para não se iludir com a coloração de uma resina não polimerizada, é imprescindível que a seleção das cores seja executada com a resina devidamente polimerizada. Aconselhamos um mínimo de 60s de polimerização para a eliminação de todos os resíduos de canforoquinona (responsáveis pela mudança de cor da resina);
  • A escala de cores deverá ser guardada, de preferência em um frasco com água, uma vez que a resina hidratada é sempre mais escura que a desidratada. Na boca a resina sempre estará hidratada devido à presença de saliva.
  • A seleção das cores deverá ser feita com os dentes adequadamente limpos e sempre antes do isolamento do campo. O isolamento, especialmente com o dique de borracha, desidrata o dente, tornando-o mais claro e isso poderá atrapalhar na escolha correta.
  • A seleção de cor é mais bem executada sob luz natural. Mas no entanto, muitos profissionais trabalham à noite, em dias chuvosos ou em consultórios com iluminação inadequada, fica praticamente impossível realizar a escolha das cores sob condições ideais. Sendo assim , o cirurgião-dentista deverá treinar esta etapa sob as condições de iluminação disponíveis no seu consultório. É importante lembrar que devemos também evitar a incidência de luz do refletor diretamente sobre os dentes no momento da seleção de cores.  Obs: Existem no mercado lâmpadas e lentes especiais para o processo de seleção de cores.seleção de cor
  • A cor da Dentina deve ser escolhida junto à dentina ou pela região cervical do dente, enquanto que a cor do esmalte deverá ser escolhida nas regiões do terço médio ou incisal.
  • A seleção das cores deve ser feita, de preferência de modo rápido. Para tal, o cirurgião-dentista deverá levar a escala de cores, hidratada, próxima ao dente e observar os nuances de cromatismo, registrando-os na ficha clínica.
  • Caso o profissional encontre dificuldade na seleção adequada de cores ele poderá executar uma restauração de diagnóstico (ensaio restaurador) para auxiliá-lo e mostrar ao paciente o provável resultado a ser obtido. Sem condicionar com ácido o esmalte do dente a ser restaurado. Ele deverá fazer uma restauração com as mesmas resinas e as mesmas cores previamente selecionadas para o caso. A única diferença entre a restauração de diagnóstico e a restauração definitiva é que a primeira não é unida à estrutura dental. A restauração diagnóstica nem sempre é necessária, mas para os menos experientes ou em casos mais difíceis, ela é aconselhável e vantajosa.
  • O paciente poderá ser convidado, junto com os auxiliares, para participarem do processo seletivo de cores.
  • Existem recursos adicionais que podem ser utilizados na caracterização dessas restaurações, recursos estes obtidos por meio do emprego de tintas ou pigmentos resinosos. Caso o dentista julgue conveniente utilizar estes recursos, a cor da tinta também deverá ser selecionada nesta fase do procedimento.
  • Evite a mudança de marcas comerciais de resina composta. Quanto mais você muda, mais terá dificuldades em selecionar as cores adequadamente. É fundamental termos uma familiaridade com o material restaurador a ser utilizado. Com o tempo e a prática, o processo de escolha de cores será facilitado pela experiência, observação e pelo controle dos resultados.

Fonte de Pesquisa: Odontologia Restauradora – Fundamentos e Possibilidades. Baratieri

COMPARTILHE ESTE ARTIGO:

Comente Aqui!

Comentário(s)

Sobre Dr. Daniel Moreira de Bulhões

Cirurgião-Dentista graduado em Odontologia pela Universidade Federal de Alagoas- UFAL, Cursou parte de sua graduação nos Estados Unidos durante o "Brazil Scientific Mobility Program" na University of Kentucky. Pós-graduando em Prótese Dentária e Implante Dentário pela Faculdade de Sete Lagoas de Minas Gerais. Empresário, Diretor clínico da "Evolution Dental Clinic" e sócio-proprietário da MOLART (www.molart.com.br), loja de presentes exclusivos e criativos para dentistas. Foi professor voluntário de Saúde Bucal dos cursos de extensão da Faculdade FACIMA para a Terceira Idade, estagiário do Ministério da Saúde no PET-Saúde, presidente e fundador da Liga de Prótese Dentária, três vezes monitor de Prótese Dentária na Clínica Integrada da UFAL, membro da comissão de tecnologia da informação e comunicação do CRO/AL e Presidente do Centro Acadêmico de Odontologia CAO-UFAL. Se aperfeiçoou em Facetas e Laminados cerâmicos, Toxina Botulínica e Preenchimento Facial, Cirurgia buco dentária, Radiologia, Odontologia Estética, Endodontia e Dentística pelo Instituto Odontológico do Nordeste. Venceu três prêmios como melhor Blog de Saúde, Cultura e Educação. É autor-responsável pelo Blog Profissão Dentista, Digital Influencer e Webmaster com experiência em Mídias Sociais e Marketing Digital na Odontologia, onde palestra e dá cursos sobre o assunto.

Veja Também!

Preparo Químico e Mecânico em Endodontia

Preparo Biomecânico INSTRUMENTAÇÃO DE CANAIS Consiste basicamente em limpeza e modelagem dando uma forma ao ...