Início / Curiosidades / Gengivite – Inflamação da Gengiva

Gengivite – Inflamação da Gengiva

O QUE É GENGIVITE?

A gengivite é uma inflamação que ocorre na gengiva. Essa inflamação geralmente é decorrente da falta de uma higienização bucal adequada (escovação precária e falta do uso de fio dental) que contribui para o acúmulo de biofilme/placa bacteriana ou tártaro (cálculo) que causa irritações nos tecidos moles que circundam o dente causando dor, sangramentos e sensibilidade. Porém muitos outros fatores podem afetar a suscetibilidade da gengiva à flora microbiana normal da boca.

OUTROS FATORES ASSOCIADOS À GENGIVITE

FATORES SISTÊMICOS

  • Mudanças hormonais: Puberdade, gravidez, uso de anticoncepcionais orais.
  • Estresse
  •  Dependência química
  • Subnutrição: deficiência de vitamina C;
  • Medicamentos: fenitoína, bloqueadores de canais de cálcio, ciclosporina;
  • Diabetes melito;
  • Síndrome de Down;
  • Disfunção imune;
  • Envenenamento por metais pesados.

FATORES LOCAIS

  • Trauma local;
  • Dentes apinhados e sobrepostos;
  • Anomalias dentárias: pérolas de esmalte, ranhuras no esmalte e na raiz;
  • Fratura dentária;
  • Cáries;
  • Recessão gengival;
  • Inserção alta do freio labial;
  • Fatores iatrogênicos: sobrecontorno de restaurações, próteses removíveis, aparelhos ortodônticos;
  • Fechamento labial inadequado;
  • Respiração bucal.

FREQUÊNCIA

A frequência de gengivite é alta em todas as idades. Alterações clinicamente detectáveis da gengiva têm início na infância e aumentam com a idade. Com quantidades semelhantes de biofilme, a gengivite é mais grave em adultos que em crianças na pré-puberdade. Há um período de suscetibilidade aumentada para gengivite próximo da puberdade entre 9 a 14 anos.

Na maioria das faixas etárias, as mulheres demonstram frequência de gengivite menor que a dos homens embora possuam períodos de susceptibilidade aumentada. Isto provavelmente se deve à higiene bucal que é melhor nas mulheres do que nos homens.

Mulheres exibem maior susceptibilidade para gengivite quando são expostas a altos níveis de progesterona associadas à gravidez ou algumas formas de anticoncepcionais orais. A progesterona parece aumentar a permeabilidade vascular da gengiva, deixando a área mais sensível a agentes irritantes bacterianos, físicos e químicos.

QUAL É A CAUSA DA GENGIVITE?

gengivite 2A gengivite é causada pela placa bacteriana aderida ao dente devido a falta de higiene oral adequada.

A acumulação de placa bacteriana pode conduzir à formação de ácidos e toxinas levando aos sintomas típicos da gengivite como sangramentos ou vermelhidão.

As alterações patológicas na gengivite estão associadas com a presença de microrganismos no sulco gengival. Esses organismos são capazes de sintetizar produtos que causam danos às células epiteliais e do tecido conjuntivo e aos constituintes intercelulares, como colágeno, substância fundamental e glicocálice (revestimento celular). O alargamento resultante dos espaços entre as células do epitélio juncional durante o início da gengivite pode permitir que agentes nocivos derivados de bactérias ou a própria bactéria tenha acesso ao tecido conjuntivo.

TIPOS DE GENGIVITE

  • Gengivite relacionada à placa
  • Gengivite ulcerativa necrosante (GUN)
  • Gengivite influenciada por medicamentos
  • Gengivite Alérgica
  • Gengivite relacionada a infecções específicas
  • Gengivite relacionada a dermatoses

OBS: Nessa postagem, falaremos sobre a Gengivite relacionada à placa.

DESENVOLVIMENTO DA GENGIVITE

De acordo com Carranza, a sequência de eventos no desenvolvimento da gengivite é analisada em três estágios diferentes: Lesão Inicial, Lesão Precoce e Lesão Estabelecida.

  • Lesão Inicial (Estágio I): Clinicamente não é evidente. Ocorre alterações vasculares (dilatação dos capilares e aumento do fluxo sanguíneo) entre 2 a 4 dias após a formação de placa. A exsudação do fluido do sulco gengival e proteínas do soro extravascular estão presentes clinicamente.
  • Lesão Precoce (Estágio II): Com o passar do tempo, entre 4 e 7 dias, sinais clínicos de eritema podem aparecer, principalmente devido à proliferação de capilares. O sangramento à sondagem feita pelo Cirurgião-dentista também pode ocorrer.
  • Lesão Estabelecida (Estágio III): Ocorre entre 14 a 21 dias após a formação de placa bacteriana. A predominância de plasmócitos é a característica principal da lesão estabelecida. Achados clínicos demonstram alterações na cor, tamanho, textura, etc.

SINTOMAS E CARACTERÍSTICAS CLÍNICAS – COMO SABER SE TENHO GENGIVITE?

A gengivite pode ocorrer em qualquer idade, mas é mais comum entre os adultos. Se for detectada no seu estágio inicial, a gengivite pode ser revertida – portanto, visite seu dentista se notar qualquer um dos seguintes sintomas:

  • Gengiva vermelha ou romba;
  • Gengiva eritematosa, edematosa (inchada), ou flácida;
  • Aumento da gengiva marginal e papilar – A inflamação da gengiva pode ser localizada ou generalizada. A área envolvida pode ser difusa ou confinada às margens gengivais livres (gengivite marginal) ou à papila interdental (gengivite papilar);
  • Perda do aspecto pontilhado da gengiva;
  • Surgimento de sangramento à sondagem periodontal leve realizada pelo Cirurgião-Dentista;
  • Gengiva sensível e dolorida;
  • Gengiva que sangra durante a escovação ou o uso do fio dental;
  • Mudanças na posição da gengiva. Gengiva com retração ou hiperplasia. A retração é a exposição da superfície radicular pelo deslocamento apical da posição gengival, ou seja, os dentes parecem mais longos do que o normal. A Hiperplasia é o aumento gengival;
  • Gengiva que se separam ou se afastam dos dentes, criando uma bolsa;
  • Mudanças na forma como seus dentes se encaixam quando você morde;
  • Secreção de pus ao redor dos dentes e na bolsa gengival;
  • Mau hálito constante ou gosto ruim na boca.

gengivite (1)

TRATAMENTO – COMO É TRATADA A GENGIVITE?

O tratamento da gengivite consiste na eliminação de qualquer causa conhecida de aumento da suscetibilidade à doença e melhoria da higiene bucal para diminuir o acúmulo de placa dental responsável pelas alterações inflamatórias. Uma boa saúde bucal ajudará a evitar que a placa se forme.

A remoção mecânica da placa, através da escovação e do uso de fio dental corretamente, pode ser auxiliada pelo uso de inúmeros agentes químicos, como enxaguatórios bucais com clorexidina ou óleos essenciais, ou dentifrícios com triclosan com copolímero Gantrez a 2%.

A remoção ou raspagem de tártaro/cálculos dentários (Biofilme que endureceu) só poderá ser realizada através de uma limpeza profissional feita pelo cirurgião-dentista.
Gengivites hiperplásicas e fibrosas poderão ser recontornadas cirurgicamente.

Se a gengivite não resolver após a melhoria do controle da placa e eliminação de fatores contribuintes óbvios, então o paciente deve ser avaliado quanto a distúrbios sistêmicos que podem estar contribuindo para o processo.
Com consultas regulares a seu dentista, o estágio inicial da doença pode ser tratado antes que se torne um problema muito mais sério. Se seu problema for mais grave, será necessário fazer um tratamento no consultório odontológico.

O tratamento geralmente é eficaz e o problema da gengivite, se tratado no início, pode ser resolvido no próprio consultório. No entanto, é importante que o paciente continue com boas práticas de higiene bocal em casa para evitar que a inflamação retorne. O dentista poderá orientá-lo a como realizar a higiene apropriada.

gengivite
RECOMENDAÇÕES – COMO PREVENIR PARA NÃO TER GENGIVITE?

A boa escovação e o uso do fio dental são essenciais para manter a saúde bucal, então mantenha uma boa higiene bucal. Escove os dentes várias vezes ao dia, passe o fio dental pelo menos uma vez por dia e faça gargarejos com soluções antissépticas.

  • Informe-se com o seu Dentista e aprenda corretamente a escovar os dentes e passar o fio dental. Lembre-se! De nada adianta ter o material de trabalho (escova, creme dental e fio dental) se você não sabe como utilizá-los.
  • Evite o consumo de açúcar, de alimentos e bebidas doces, especialmente se não tiver a chance de escovar logo os dentes;
  • Não fume;
  • Escove os dentes à noite sempre antes de dormir;
  • Escove os dentes sempre após as refeições;
  • Visite o seu Dentista regularmente para fazer uma profilaxia dental e raspagem de tártaro. Ele vai ajudar a reduzir a placa bacteriana e remover o tártaro aderido aos seus dentes.

Fonte de Pesquisa: Periodontia Clínica (Carranza) e Patologia Oral e Maxilofacial (Neville).

Tirinha para Descontrair… 

piada

COMPARTILHE ESTE ARTIGO:

Comente Aqui!

Comentário(s)

Sobre Dr. Daniel Moreira de Bulhões

Cirurgião-Dentista graduado em Odontologia pela Universidade Federal de Alagoas- UFAL, Cursou parte de sua graduação nos Estados Unidos durante o "Brazil Scientific Mobility Program" na University of Kentucky. Pós-graduando em Prótese Dentária e Implante Dentário pela Faculdade de Sete Lagoas de Minas Gerais. Empresário, Diretor clínico da "Evolution Dental Clinic" e sócio-proprietário da MOLART (www.molart.com.br), loja de presentes exclusivos e criativos para dentistas. Foi professor voluntário de Saúde Bucal dos cursos de extensão da Faculdade FACIMA para a Terceira Idade, estagiário do Ministério da Saúde no PET-Saúde, presidente e fundador da Liga de Prótese Dentária, três vezes monitor de Prótese Dentária na Clínica Integrada da UFAL, membro da comissão de tecnologia da informação e comunicação do CRO/AL e Presidente do Centro Acadêmico de Odontologia CAO-UFAL. Se aperfeiçoou em Facetas e Laminados cerâmicos, Toxina Botulínica e Preenchimento Facial, Cirurgia buco dentária, Radiologia, Odontologia Estética, Endodontia e Dentística pelo Instituto Odontológico do Nordeste. Venceu três prêmios como melhor Blog de Saúde, Cultura e Educação. É autor-responsável pelo Blog Profissão Dentista, Digital Influencer e Webmaster com experiência em Mídias Sociais e Marketing Digital na Odontologia, onde palestra e dá cursos sobre o assunto.

Veja Também!

Preparo Químico e Mecânico em Endodontia

Preparo Biomecânico INSTRUMENTAÇÃO DE CANAIS Consiste basicamente em limpeza e modelagem dando uma forma ao ...